Pesquisar neste blog

21 de outubro de 2012

Analise poética: Ismália

Quando Ismália enlouqueceu,
Pô-se na torre a sonhar
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar

No sonho que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,
Na torre pô-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu.
Seu corpo desceu ao mar...

A poesia acima foi escrita por Alphosus de Guimaraenns (1870-1921), poeta simbolista do seculo XIX. É uma das poesias mais famosas da literatura brasileira, e particularmente uma de minhas favoritas. Vamos fazer uma analise da obra.

As poesias de Alphonsus são ricas em misticismo e espiritualidade. Um dos elementos importantes em Ismália é a "Torre". A torre tem um simbolo muito forte nos mitos e contos de fadas. É um simbolo de destruição\degeneração representando que algo não esta certo, que precisa ser mudado. Seu significado não é necessariamente maléfico. A torre pode representar um ciclo negativo que deve ser fechado, ou o fim de algo ruim, para que a pessoa possa se reerguer mais firme e mais forte do que antes.

Na maioria das vezes o fator que proporciona a mudança é externo. No conto da rapunzel quem liberta a donzela de sua situação de aprisionamento e solidão é o príncipe. Na mitologia grega a princesa Danae é presa em uma torre pelo próprio pai, que ao ouvir uma profecia de que o filho da princesa iria mata-lo, prende a jovem em uma torre para que feneça e morra de fome. Ela é visitada por Zeus, pai dos deuses, que surge metamorfoseado em chuva de ouro e a fertiliza, lhe revitalizando com energia e proporcionando um filho que no futuro cumpriria a profecia.

Na poesia Ismália passa por uma desorientação mental, um caos psíquico como vemos logo nos primeiros versos "Quando Ismália enlouqueceu, pô-se na torre a sonhar". A moça se perdeu em sua loucura. A torre é também um dos arcanos do tarot e representa entre outras coisas os alicerces que nós sustentam, que estão frágeis e prestes a desabar, por isso na maioria das vezes a carta da torre e representada ruindo ou prestes a ruir.

A lua é o elemento principal da poesia. Ela representa o poder magico, o misticismo e a feminilidade, a sexualidade e o romance. A lua é como a torre um dos arcanos do tarot e representa alem dos significados já citados: poder instintivo, sonhos e ilusão.
Reunindo todas essas pistas podermos tentar formular a razão do dilema mortal e a origem da loucura de Ismália.

Almejando e desejando sempre a lua, Ismália poderia estar sonhando com um amor idealizado, se desprendendo da realidade (fugindo, se fechando em uma torre, ficando alheia ao mundo), o sonho de Ismália era porem inalcançável, tendo como unica forma de realiza-lo através da morte, a maior das fugas e a solução para todos os problemas que atormentam o ser humano.

Podemos porem interpretar a loucura da protagonista de outras formas. Ismália poderia ter se suicidado por ter sofrido com um abandono amoroso, iludindo-se com o retorno do amado. Ao perceber que tal coisa não aconteceria a heroica da fim a sua vida.

Outra interpretação possível é que ela tentasse unir o terreno "a lua do mar" com o espiritual e o divino "a lua do céu" chegando assim ao cruel dilema entre o carnal e o espiritual que acomete os homens desde os tempos remotos.

A morte da heroína apesar de trágica é bela. Ismália brilha, com uma beleza angelical ao chegar eu seu momento final "E como um anjo pendeu, as asas para voar...". O poema concentra toda a carga trágica nestes últimos versos quando, sem mostrar medo ou hesitação Ismalia pula da torre e ascende aos céus como uma estrela iluminada.

15 comentários:

  1. Ótimo análise (: Gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!! Faz tempo que não atualizo o blog, mas pretendo voltar ^^

      Excluir
  2. Puxa, amei a interpretação. Parabéns. Ismália é um dos meus poemas favoritos. Concordei com sua análise metafísica da coisa. Unindo todos os símbolos e chegando a essa visão mais profunda. Tão simples, tão belo. =) Eis aí o poder dos símbolos! Dizer muito, em pouco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Hummel. Tentarei colocar outras postagens desse gênero. O blog voltou a ativa e tentarei postar no minimo em uma frequência semanal.

      Excluir
    2. Nada, Lucas! Eu sei que é complicado manter uma frequência para blogar. Análises, em geral, levam tempo. Não são simples. Mas, bem, dou uma passadinha para conferir! Sucesso pra vc!

      Excluir
    3. Desculpe Mi Hummel, tive pouco tempo para dedicar ao blog por todo esse tempo, mas, seria mentira usar isso como desculpa. A verdade é que estava com tanta coisa na cabeça que o blog (ou melhor "os blogs" pois tenho mais de um) simplesmente sumiu da minha mente e eu nem lembrava dele.

      Obrigado por esse "puxão de orelha" rs... já postei uma analise nova de uma poesia de Oswalde de Andrade, é a mais recente postagem do blog o link para postagem é esse:

      http://bibliotecautores.blogspot.com.br/2014/04/analise-poetica-poesia-oswalde-de.html

      Excluir
  3. Lucas
    A ortografia correta é "ascende" do verbo ascender, que também gera o substantivo ascensão.
    Fica a dica, amigo. No mais, excelente análise, parabéns
    Abs
    CastroS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado CastroS, já fiz a correção na postagem!

      Excluir
  4. Adorei sua análise simples e direta. Muito obrigado, ismalia tbm é um dis neus poemas favorito.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa interpretação, Lucas. Gostei, muito.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui!